Destaques

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Crítica Cinema | Infiltrado

(Não saia do básico, se for para complicar)


Patrick Hill (Jason Statham), conhecido apenas como “H”, é um homem misterioso que trabalha para uma empresa de carros-fortes e movimenta grandes quantias de dinheiro pela cidade de Los Angeles. Quando, ao impedir um assalto, ele surpreende a todos com suas habilidades de combate, suas verdadeiras intenções começam a ser questionadas e um plano maior é revelado. Elenco ainda conta com... Holt McCallany, Scott Eastwood, Andy Garcia, , Laz Alonso, Deobia Oparei, entre outros. Com direção de Guy Ritchie. Distribuição da Imagem Filmes. Estreia nos cinemas brasileiros em 26 de agosto de 2021. Para o trailer, clique aqui.

Infiltrado (Wrath of Man)


Quando temos um ator do estilo clássico de ação brucutu como Jason Statham, onde temos a marra com carisma, somados a violência e tiros certeiros, por isso, não se espera muita coisa fora do que sempre são longas assim... Só que ai tem um diretor como Guy Ritchie que tem uma pegada de ação com roteiro que às vezes funciona, outras não. Então se espera que haja uma mescla, ou realmente ser o estilo ação sem pensar muito. Essa última opção que prevalece de inicio, pois o protagonista vai trabalhar dentro de uma empresa de carros-fortes e temos uma narrativa de que ele realmente é mais do que um simples segurança. Isso até que convence, já que explora o melhor do Statham tem a oferecer. Tudo vai caminhando para o básico filme de ação para passar o tempo, já que você percebe mais ou menos que o protagonista está ali para algum motivo pessoal, mas claro que precisamos saber as motivações reais do personagem, além da assinatura do diretor que até então não fica evidente, ai entra algo que não esperava ser do jeito que foi...


Lá para o segundo ato, o roteiro estica para dois flashbacks, esperava apenas um, já que o H (Statham) precisava de um escopo que justificasse suas ações, ali já falha, pois a forma contada é muito forçada e bagunçada, vai criando muitas camadas e as deixando jogadas depois, ficando confuso a função de cada um nessa celeuma toda, se enrolando demais...E como se já não bastasse isso... a história volta mais e uma nova trama se inicia dentro da trama que já estava curso, pois do nada... O roteiro me entrega seis novos personagens à essa altura do campeonato, explicando toda trajetória do grupo e suas motivações para a tragédia que vai acontecer e ditar o ritmo das coisas que vimos no primeiro ato... E isso demora hein, tenta ali o mil vezes já explorado drama do ex-militar e criar um vilão de verdade dentro disso, você até esquece que o Statham está no filme. Então no último ato tudo fica corrido e com buracos, sem grandes impactos, talvez ali um plot nem tão plot assim sobre um novo elemento que era a única coisa que faltava explicar e quando explica... sem grandes impactos. Para não ser tão rígido, achei interessante mostrar o quanto não é fácil a vida de quem é dessa profissão de segurança de carro-forte, tendo que proteger e transportar dinheiro dos outros. Mesmo assim ainda fica um excesso de informações que depois vai se diluindo em meio a uma chuva de balas para todos os lados, que no final nem empolga tanto.


Ação é ação, precisa de porradaria, coisa que tem pouco no filme, já o que tem mais são tiros, esse funciona bem em alguns momentos, mas falha no embate final, ficando um anti-climax, pois faltou ali a sensação de filmes desse gênero, e ainda mais com esse tipo de ator (Statham) sendo a estrela. Parte técnica não oferece muito, a narrativa em questão não exige. Guy Ritchie vai querendo coisas demais no segundo ato, dramatizando ou problematizando situações que acabam desgastando um terceiro ato curto e corrido. Sobre o elenco... Jason Statham é ele sendo ele mesmo, não é tipo de ator que se pede muito, apenas que o roteiro explore o que ele sabe fazer dentro do seu carisma e estilo de trabalhar, aqui não consegue direito. Andy Garcia até agora não deve saber o que ele fazia nesse filme, e nem os personagens na história... E sobre o restante do elenco... é um grande enxerto de gente que só vai aumentando conforme as coisas vão sendo contadas, ninguém chama atenção, talvez um pouco o Scott Eastwood. Infiltrado parecia ser um filme de porradaria e tiro no maior estilo Statham, mas tem um diretor que gosta de encorpar seus filmes de ação com uma narrativa motivacional, e isso deixou o filme confuso e exigindo demais de uma trama que era para ser simples de infiltração e vingança, não esperava muita coisa, mas entregou menos do que esperava.

Imagens fornecidas pelas assessorias ou retiradas da internet para divulgação/Biografias usadas são da IMDB
  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: contato.parsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks