Destaques

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Crítica Cinema | Espíritos Obscuros

(Terror psicológico com mortes brutais)


Baseado no conto The Quiet Boy, de Nick Antosca, a história gira em torno de cidade isolada do estado de Oregon (EUA), onde uma professora do ensino fundamental (Keri Russell) e seu irmão xerife (Jesse Plemons) se envolvem com um enigmático aluno (Jeremy T. Thomas), cujos sombrios segredos levam a encontros aterrorizantes com uma lendária criatura ancestral que aparece diante deles. Elenco ainda conta com Graham Greene, Scott Haze, Rory Cochrane, Sawyer Jones, entre outros. Dirigido por Scott Cooper. Produção da Searchlight Pictures, e com distribuição nacional da Disney. Estreia nos cinemas brasileiros, em 28 de outubro de 2021. Para o trailer, clique aqui.

Espíritos Obscuros (Antlers)


A história é toda sombria e com uma atmosfera mais de suspense, do que terror. A jornada do garoto, apesar de um pouco forçada, tem dois pontos interessantes... A primeira é o quanto se pode levar uma criança a um horror psicológico que pode deixa-la em frangalhos mentalmente, ou assumir uma casca que a deixe sombria, isso vale para outros abusos, não só um conto fictício de um monstro oriundo de uma fábula. A segunda é os laços familiares, as atitudes do garoto já são justificadas em uma simples historinha que ele conta em sala de aula sobre três ursos no inicio do filme, ali você percebe o quanto isso pode pesar em certas tomadas de decisão dele. Dito isso, a narrativa é preparar uma ambientação cinzenta e colocar os personagens em situações de perigo. Durante a trama tem os acontecimentos com o menino, fazendo a comparação em relação a protagonista interpretada pela Keri Russell. Ela tem as mesmas dores de abusos infantis que o garoto, só que mais realistas do que a dele, pelo menos é o tentado... O roteiro não explora muito e isso fica jogado, inclusive na relação dela ao seu irmão (Jesse Plemons), com isso, a construção narrativa deixa um pouco a desejar. Vai dando voltas para entregar um peso maior quando começar a matança, e quando começa...


São mortes brutais, com detalhes até bem feitos, além de um terror absoluto. A lenda do Wendigo não é muito bem explicada, faltou uma melhor didática, então para compensar... tem todas esses assassinatos, em cenas bem agoniantes e chegando a gore em vários pontos, nesse sentido funciona bem. Tudo gira em círculos para chegar nas partes visualmente chocantes do meio para o fim. Como podem ver o roteiro não é muito dinâmico, ficando apenas os pontos de sofrimento psicológico e até físico do garoto, além da matança que nessa proposta, entrega. No fim, nada muito marcante, mas prendeu atenção por tudo que foi criado até então. A fotografia é boa, bem soturno. Sobre o elenco... Todas as atuações são medianas para baixo, os personagens não são bem escritos, a não ser o menino, ali tem um estofo melhor já que é o que precisa fazer tudo funcionar, mas incluindo ele e o outro garotinho que é irmão dele no longa, ambos não são naturais, claro que são crianças atuando, só que pelo menos nesse filme eles deixam a desejar, pois o que não falta são grandes atuações infantis por aí. Espíritos Obscuros é uma história que era mais complexa do que foi contada, e para compensar... Entrega bons momentos visuais e elementos de suspense com terror psicológico funcional.

Imagens fornecidas pelas assessorias ou retiradas da internet para divulgação/Biografias usadas são da IMDB.
  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: contato.parsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks