Destaques

Newsletter

quinta-feira, 26 de março de 2020

Crítica Cinema | Bloodshot

(Falhando onde não deveria falhar)
By Alan David


Sinopse: Baseado no quadrinho best-seller, Vin Diesel interpreta Ray Garrison, um soldado recentemente morto em combate que foi trazido de volta à vida pela corporação RST como o super-humano Bloodshot. Com um exército nano-tecnológico correndo em suas veias, ele é uma força insuperável – mais forte do que nunca e com poder de cura instantâneo. Mas, ao controlar seu corpo, a corporação também toma controle de sua mente e memórias. Ray não sabe diferenciar o que é real do que não é; mas ele está em uma missão para descobrir a verdade.  Elenco ainda conta com Guy Pearce, Eiza Gonzalez, Sam Heughan, Toby Kebbell, Lamorne Morris, entre outros. Direção de Dave Wison. Produção e distribuição da Sony Pictures. Estreia 12 de março de 2020. Para assistir ao trailer, clique aqui.

Bloodshot


O fato de ser baseado nos quadrinhos homônimo da Editora Variant, essa que tem certa importância no mercado americano de HQ´. Bloodshot no seu original conta com uma trama de premissas interessantes e execução mediana; nada que chame muita atenção, por isso nem é conhecido fora do seu nicho americano. Então quando chegou a nós esse novo longa, ficou a impressão imediata de mais um filme com Vin Diesel do qual ele é o fortão perturbado que sai distribuindo porrada e com um par romântico com química zero com o estilo brucutu dele, coisas como Triplo X, Riddick e Caçador de Bruxas, por exemplo (A franquia Velozes e Furiosos e a comédia Operação Babá são uma das poucas exceções que despertam até um certo interesse pelo ator).  Então o resultado foi...  que sim, mais um genérico do fortão.


A trama totalmente previsível, que se torna menos se você chega até o filme sem assistir o trailer, já que lá entrega tudo. A narrativa gira em torno das idas e vindas do Ray, o personagem mostra seus objetivos de vingança e o quanto está sendo manipulado dentro dessa obsessão, isso até o grande plot do qual vai seguindo seu rumo até o gran finale básico. Então o que melhora a situação em um tipo de filme assim? A ação esperada de um longa com Vin Diesel... mas acaba falhando ao enrolar-se visualmente em suas pancadarias (Luta final você nem sabe o que está acontecendo em tela, parece Transformers)  que mistura-se com várias conversas sem graça, situações clichês e caras e bocas do protagonista. Ah sem esquecer que sempre tem o par romântico nada haver dele (Pelo visto, só Michelle Rodriguez em Velozes e Furiosos consegue química com ele nesse quesito). O roteiro ainda quer ser engraçadão com alguns personagens caricatos de piadas prontas, então nada inovador e tudo previsível com execução entediante que você só quer o término logo para fazer outra coisa da sua vida.
 

Ambientação simples com visuais laboratoriais e uns tons de cores que são bem satisfatórios, mas todos os efeitos dentro de uma fotografia de ação nesse longa não são tão nítidos, então fica faltando uma melhor percepção do que acontece em cena, principalmente nos embates físicos com cortes irritantes e quando exige mais dos efeitos especiais só piora. Parte sonora é tranquila. A forma conduzida na edição da sua trama como um todo... apesar de não ser muito animado, até que não são tão falhos (tirando as lutas corpo a corpo, esse mais retalhado que ataque de samurai) do qual você tem noção clara do quais são os rumos narrativos escolhidos... só não se importa mesmo devido a não empolgar e tudo ser muito artificial dentro de uma direção sem personalidade do Dave Wilson. Sobre o elenco... Vin Diesel rodando no básico dos seus filmes básicos de ação básica, nada mais que básico. Guy Pearce tem boas atuações em filmes do passado, mas ultimamente vem fazendo papéis com atuações bem ruins, aqui não é diferente. Eiza Rodriguez fraca, assim como restante do elenco, exceção do Tobey Kebbell que você até acha ele um pouco interessante, mas conforme a narrativa anda, você percebe rapidamente que nada sairá do seu personagem. Bloodshot não apresenta nem o que mais você espera de uma longa do gênero de ação e somado ao fato de mexer muito com ficção científica, acaba ficando falho visualmente. Atuações e personagens genéricos, com a falta de química entre os atores torna tudo uma experiência senão péssima... bem descartável.

Obs.: Biografias de atores e filmes IMDB. As imagens foram disponibilizadas pela assessoria da distribuidora do filme.
  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: contato.parsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks