Destaques

Newsletter

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Crítica Cinema | Vingadores: Ultimato

(Uma forma cinematográfica de agradecimento a onze anos de fidelidade)


Sinopse: As consequências de Vingadores: Guerra Infinita trouxe um lamentar enorme aos heróis que sobreviveram ao estalo do Thanos (Josh Brolin) e sua manopla do infinito. Capitão América (Chris Evans), Viúva Negra (Scarlett Johansson), Thor (Chris Hemsworth), Maquina de Combate (Don Cheadle), Bruce Banner (Mark Rufallo) e Rocket (Dublado por Bradley Cooper) querem uma revanche contra o vilão e com a chegada da Capitã Marvel (Brie Larson) um novo embate acontecerá. Ainda temos Tony Stark (Robert Downey Jr) e Nebulosa (Karen Gillan) que estão voltando da batalha que custou a derrota deles no planeta Titan e também o Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) que mudou muito desde sua última aparição. A consagração de onze anos de filmes (22 produções para ser exato, contando esse) e uma batalha sem precedentes está para acontecer... E os Vingadores precisarão vencer "Custe o que custar" para reverter o desaparecimento de metade do universo. Para aumentar as esperanças... Alguém que foi dado como morto está voltando com um plano que pode mudar tudo. Além dos mencionados, todo elenco do longa anterior, mais personagens que você acompanhou ao longo dessa saga do MCU (Marvel Cinematic Universe) aparecerão, um casting espetacular com direção dos irmãos Joe e Anthony Russo (Capitão América: O Soldado Invernal, Capitão América: Guerra Civil e Vingadores: Guerra Infinita).  Produção da Marvel Studios e distribuição nacional Disney/Buena Vista.

Vingadores: Ultimato (Avengers: End Game)


Falar sobre consagração e a criação de um universo cinematográfico e compartilhado da Marvel é chover no molhado. Toda a trajetória da Marvel Studios desde o primeiro Homem de Ferro (2008) é uma mudança grandiosa no estilo de longas de super-heróis. As histórias, atores e personagens transcenderam as telonas, para algo maior... Quem do grande público em 2008 fora do nicho dos quadrinhos era fã do Homem de Ferro? Sabia o que era os Guardiões da Galáxia? Capitã Marvel? SHIELD? Até mesmo Thanos... Algo que foi se moldando em cima de grandes produções, expectativas e um laço narrativo que amarrava ao menos um pouquinho dentro de um contexto maior, enfrentar Thanos... Esse dia chegou no ano passado em Vingadores: Guerra Infinita e os heróis perderam, agora é a revanche, mas não só isso... A chance de agradecer a todos que estiveram nessa jornada e que colocou os personagens Marvel nos cinemas em um patamar invejável e criou um selo de qualidade que muitos tentam copiar (Horas funciona e horas não), mas uma coisa é certa, o que acontece em Vingadores: Ultimato é o fechamento e consagração de algo que dificilmente veremos novamente, será quase impossível de ser atingido mais uma vez, até mesmo para a própria Marvel Studios.


Claro que a ideia é de revanche, pois no longa anterior todos os paradigmas do mocinho e bandido foram quebrados, o mal venceu e algo precisa ser feito... A ideia toda não é apenas um embate com o vilão, e sim, nesse novo mundo que foi moldado forçadamente por Thanos é trazer o estado atual e reverte-lo de forma satisfatória, pois muitos tocaram suas vidas e outros que não esquecerão... Isso é bem relevante na relações dos heróis nessa trama, pois como trazer todos de volta em um mundo que seguiu mesmo sem a metade das pessoas. Fora isso é evidente que se trabalham muito em cima dos Vingadores originais, todos eles tem sua trajetória e destaque nessa batalha, são os alicerces que começaram esse universo do MCU e também que precisarão encerrar de forma vitoriosa. Não somente eles, pois temos os que sobreviverão ao estalo que terão seus momentos importantes (Principalmente a Nebulosa), mas Capitão, Stark, Viúva, Hulk, Thor e Gavião são os pilares em momentos chave para resolver esse problemão contra o Thanos. Toda trama é bem construída em cima disso e quando chega na batalha final se preparem para estremecer na poltrona, você dificilmente verá novamente algo assim tão cedo nos cinemas, será de arrepiar... Seria como segundos antes aparecesse a mensagem "Obrigado por todos esses anos nos acompanhando, a seguir nosso presente para vocês...". Fãs de quadrinhos vão endoidar, os construídos no cinema vão delirar e quem gosta de um evento sem precedentes vai se impressionar com o que verá no ultimo ato, a realização e finalização de um trabalho bem feito.


Falar sobre o que mais agradou e desagradou é pisar em ovos, pois muito se baseia em cima de spoilers, isso não vou dar, então vamos focar em um panorama geral de como funcionou Ultimato. São três horas de filme, então saiba que muita coisa vai acontecer até a batalha final, se em Guerra Infinita tínhamos ação e humor o tempo todo e dentro de uma narrativa linear do embate, humor, preparação e combate de novo... Aqui tudo é mais complexo (Você precisará ter visto praticamente todos os 21 filmes anteriores para entender tudo que vai acontecer), teremos um inicio bem tenso e com uma quebra de expectativas que já mexe com quem assistir logo de cara, então tudo vai para um caminho mais técnico, a forma encontrada de resolver o problema após os acontecimentos dos primeiros minutos não são bem elaborados, por mexer com o que vai mexer, as explicações e soluções soam mais como licença poética e deixa alguns furos que não tem muito sentido que não seja a trama andar no ritmo de aumentar a importância dos Vingadores originais e preparar o vilão para uma batalha final. Teremos momentos tensos e trágicos, mas devido aos novos rumos que vão suceder Ultimato, perdem a emoção necessária... E para quem espera muitas respostas do futuro MCU e não do que acontece pós o longa anterior, pode se decepcionar, esse aqui é um história sobre as consequências de Guerra Infinita e dos Vingadores originais. Sobre o tom cômico... tem sim, alguns vão roubar o filme para si... Além disso, rever personagens que foram importantes de alguma forma para esse universo compartilhado será nostálgico, até porque não será avulso, pois estão todos dentro de um contexto importante para a história. Tudo tão épico que mesmo com uns problemas de soluções da segunda metade do primeiro ato e do segundo ato, fica dentro de uma atmosfera tão rica na contextualização que se propõe, que você na hora nem se importa muito e só aproveita.


Falar sobre ambientação, direção de arte, trilha sonora e tudo mais, novamente é uma linha tênue a não dar spoiler, mais saiba que tudo está muito bem feito, o que está acontecendo em tela é de um trabalho cuidadoso e extremamente voltado aos fãs de anos e anos ali esperando o filme da Marvel Studios da vez ser lançado nos cinemas. Agora quanto aos efeitos, muito em relação ao ato e batalha final, um negócio assustador de tão grandioso, em um panorama geral, tudo é de encher os olhos e não é pouco não, os irmãos Russo foram cuidadosos nessa parte, só pecam no plano principal de reverter tudo, porque a solução usada abre margens para muitos erros ou indagações de como serem resolvidos, mas trabalhando com os atores e com tantos cobrões de Hollywood, nisso conseguem na maior tranquilidade fazer todos se sentirem a vontade e atuarem muito bem. Agora sobro o elenco... vou fazer diferente, irei falar sobre o personagem, até porque seus intérpretes estamos mais do que cientes do talento e carisma da maioria deles. A causa e efeito de Guerra Infinita é evidente mais em Thor, realmente não ter acertado Thanos na cabeça e evitar o estalo abala o herói que mexe na estereotiparem que foi montada em cima do Deus do Trovão que surpreendeu, fora que se você o achou engraçado do longa anterior, agora então... Hulk também terá mudanças drásticas que trará humor, além do Rocket e o Homem Formiga, esse quarteto será a parte mais leve de tudo. Gavião Arqueiro, agora Ronin, sim terá uma jornada toda especial e com um destaque que realmente foi acima do que esperava, assim como Nebulosa, sua participação e importância será tão grande como dos Vingadores originais, além disso, Capitão, Homem de Ferro e Viúva sabem o que tem que fazer e a consciência deles em tudo que irá acontecer será o grande destaque de Ultimato, por fim, temos o já mencionado Homem Formiga que tem um papel crucial nisso tudo, não apenas um dos alívios cômicos. De ruim, o Máquina de Combate que não deram muita importância para o cara e a Capitã Marvel... Eu já tinha mencionado no filme solo dela que a Brie Larson não casou bem com o personagem, aqui novamente... e sua ajuda nisso tudo é abaixo das expectativas e só vai aumentar a opinião de quem não gostou dela nesse MCU. Ah, sobre os que sumiram no estalo? Vai ter que assistir para saber rs, só mencionei os que aparecem nos trailers e materiais de divulgação. Vingadores: Ultimato não é um filme, e sim um evento vistoso de três horas, que entrega algo grandioso e fecha do jeito deles uma era que se iniciou lá em 2008, uma carta de agradecimento para quem chegou até aqui, não tem a dinâmica do longa anterior, mas traz um tom épico, grandioso e necessário para reverter de forma dentro do que foi possível as consequências de Guerra Infinita, a cortina fecha e uma nova está se abrindo para a Marvel Studios que não sabemos como será, mas créditos eles tem de sobra e qualidade só deve aumentar... Até porque aqui foi a celebração aos Vingadores originais, mas agora eles terão X-Men, Quarteto Fantástico, Deadpool e cia para se juntar nesse universo que já é um sucesso, imagina como será daqui para frente.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks