Destaques

Newsletter

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Resenha Séries: Titans (Primeira Temporada)

(Muito do Robin e pouco da equipe Titans)


Lançado recentemente e  exclusivamente no Brasil pelo serviço de Streaming da Netflix Brasil, Titans em sua primeira temporada de 11 episódios conta a origem de uma das equipes mais conhecidas e importantes dos quadrinhos, principalmente da DC Comics... Titãs ou Jovens Titãs ou Novos Titãs como preferir é um grupo de jovens liderados por aquele que um dia foi o parceiro do Batman, Dick Grayson com seu alter ego de Robin que depois se tornou o Asa Noturna (HQs). Aqui nessa série Dick (Brenton Thwaites, Entrevista com Deus) vive sobre a sombra do Homem-Morcego e isso causou traumas que ficam evidentes quando ele usa o manto de Robin, pois sua violência fica brutal no combate ao crime, hoje ele é policial e vai ajudar a jovem Ravena (Teagan Croft) a fugir de uma organização muito perigosa do pai dela, mas o que ele não sabe é que a garota tem poderes malignos que nem ela sabe a origem deles ou até mesmo controla-los. Nessa jornada eles terão ajuda de Kory, Estelar (Anna Diop) com poderes sobre humanos que não se lembra de onde veio e o porque ela está atrás de Ravena, além disso, Gar, Mutano (Ryan Potter) é um garoto que sofreu mutação devido a uma doença e tem o poder de se transformar  (na cor verde) em animais. Os quatros passaram por vários desafios e no caminho terão ajuda de outros personagens conhecidos da franquia dos quadrinhos. Produção original do serviço de Streaming DC Universe, mas como dito antes... No Brasil foi lançado pela Netflix.

 Titans


Algumas coisas assustaram o público antes do lançamento dessa série... Primeiro foi o visual dos personagens (Tirando o Robin que foi aprovado de primeira) e segundo... As cenas de violência extrema no trailer lançado. Isso tudo deixou todos com o pé atrás, mas assistindo a série, tudo fica amenizado e fazendo sentido. Todos os personagens você acaba se acostumando com o visual e compra a ideia, claro que a Estelar ficou um visual chamativo que nas fotos de set estavam esquisitos, mas em tela ficou bem legal, a personagem cresce na trama e você nem repara mais em figurino. A Ravena muito bom visual, inclusive em cenas de possessão e usando seus poderes, confesso que de primeira a Ravena tinha me agradado também. Por fim, o Mutano é outro que está legal, resolveram bem o problema dele ser verde nos quadrinhos e isso foi contornado de forma satisfatória, pois se entende que orçamento de série não é como de filme. Por enquanto ele só se transforma em um animal, mas no decorrer das temporadas isso deve mudar, até porque esse animal vai dar uma subtrama para ele e algumas camadas que precisavam, pois até então ele era um figurante de luxo... Ah sem esquecer o visual dos outros personagens no decorrer dos episódios que é um show de fan-service e mostra o quanto esse DC Universe veio para ficar. No texto abaixo terá Spoiller dessas aparições especiais na série, se você não viu ainda, pode pular para o parágrafo final, agora se já assistiu ou não se importa, bora falar desse novo mundo da DC.


A história é praticamente a jornada do Dick Grayson com seus demônios interiores e dentro da trama da Ravena, isso move todos os episódios, mas são poucos que focam nos quatro membros e que não tem alguma participação especial importante (Todos com visuais bem feitos). De cara já temos Rapina e Columba que tem uma subtrama legal, mas depois da aparição nos primeiros episódios... Eles ganham um outro perto do final, mas totalmente sem sentido e fora de contexto quando a história estava pegando fogo, foi uma ducha de água fria. Além disso, temos a primeira aparição da Patrulha do Destino, na mesma pegada meio sombria e gore, mas com um humor que não temos em Titans, foi a introdução deles e já serão o novo trunfo do serviço de Streaming da DC agora em fevereiro, pois com o fim da temporada de Titans eles ficaram sem uma série nova em live action para mostrar. Ainda temos o segundo Robin de Jason Todd que realmente não esperava isso, seguindo com a Donna Troy (Moça Maravilha) que entra devido ao Dick e está com jeito de ser personagem fixo na próxima season, por fim o Batman que aparece no episódio final, pelo menos em relances e na penumbra, não tivemos ele totalmente... Sem falar das menções aos vilões do Batman (Muito a ele próprio), a Liga da Justiça e tudo do Universo DC. Isso mostra que teremos três universos da DC Comics nas telas e telonas. As dos filmes, séries CW (Arrowverse) e essa da DCU. Ao longo desses episódios temos muito das crises do Robin e isso estoura no episódio final, o que deixa as coisas meio frustrantes, pois não parece fim de temporada e deixa tudo muito longe de surgir os Titans ainda, pois aqui é a série do antigo ajudante do Batman e com a trama da Ravena para impulsionar os acontecimentos... Sobre a equipe em si, ficou devendo, inclusive com um episódio perto do fim totalmente fora de ordem e no meio de algo grande acontecendo (Quem acompanhada The Walking Dead é equivalente ao famoso episódio da Tara que parou a narrativa principal que estava em ebulição para contar uma história bem avulsa que pouco acrescentou ou não precisava gastar um capítulo inteiro para desenvolver). Com isso, a sensação de assistir os Titans foi deixada de lado para temos a jornada do Robin, o que não foi ruim, só não entregou o esperado, nem ao menos no final.


O desenvolvimento narrativo como disse foi dentro do que Robin apresentava e dos problemas que Ravena trouxe, os outros dois só tiveram algum desenvolvimento lá para o final da season. A fotografia escura e ambientação no que foi proposto pela série convenceram, assim como os efeitos sonoros e com a trilha de abertura muito interessante, com detalhes nas letras que davam a entender como seria o episódio. Os efeitos foram satisfatórios, dentro de um orçamento de série como essa, a parte de sangue foi bem o que os trailers mostraram, inclusive com cenas de tortura, acidentes e mortes, Titans ficou bem desvinculado das animações, seja aventureira como Young Titans ou zoeira como Teen Titans GO. A qualidade técnica e narrativa é funcional na maioria dos episódios, pois mesmo fugindo de uma história de origem de equipe... No que apresentou foi bem focado e estruturado, só peca em um episódio avulso lá para o fim e a sensação que não assistimos um final de temporada devido o que acontece nele... Apesar desses defeitos, a qualidade de alguns episódios e a forma que tudo estava sendo contado envolve tanto que tem episódio que você fica querendo já assistir o seguinte, pois o gancho é muito bom. Titans é uma série corajosa da DC Universe que coloca os jovens e coloridos heróis dos quadrinhos em um contexto sombrio, violento e questionador que serve como várias pontas para esse novo universo que se abre na DC Comics... Apenas deixou um gosto amargo se por um lado entrega algo diferente, inesperado e bom... Do outro entrega a jornada de um personagem apenas, usando outro como impulso e os demais como coadjuvantes e deixando de lado o próprio título. Agora é aguardar a segunda temporada para que tenham realmente a série dos Titans e não do Robin, porque isso já foi entregue aqui e de forma satisfatória, mas já deu por enquanto.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks