Destaques

Newsletter

domingo, 13 de janeiro de 2019

Crítica Cinema: WiFi Ralph - Quebrando a Internet

(Bate na mesma tecla do primeiro, mas dessa vez expande a aventura pelas características da Internet)


Sinopse: Ralph (Dublagem original de John C. Reilly), Vanellope (Dublagem original de Sarah Silverman) e toda a turma do mundo virtual dos games estão de volta. Em um belo dia graças a uma ideia diferente de Ralph, o Corrida Doce da Vanellope fica avariado no mundo real e corre o risco de ser desligado caso o dono do fliperama não consiga um volante antigo e raro que serve para guiar o jogo. Com isso, os dois entram no mundo vasto da Internet para comprar esse item, mas o que eles não esperavam era que precisariam conseguir dinheiro de verdade para isso... As coisas complicam mais ainda com o surgimento de Shank  (Dublagem original de Gal Gadot, Mulher-Maravilha) de um jogo de corrida bem insano que faz com que a amiga inseparável de Ralph repense suas prioridades. A sequência da animação produzida pela Disney em 2012, com direção de Rich Moore (Zootopia e Detona Ralph) e Phil Johnston (Esse também fez o roteiro). Distribuição nacional da Disney/Buena Vista.

 Cinema 561: WiFi Ralph - Quebrando a Internet (Ralph Breaks the Internet)


Sinceramente não morro de amores por essa franquia, o primeiro Detona Ralph (2012) foi bem mediano. Nos trailers se vendeu como uma animação que exploraria o mundo dos games e teríamos os personagens que sempre acostumamos a jogar em evidência... Mas na verdade o roteiro foi a história do vilão Ralph e de como ele sentia-se sobre ter que ser o cara mal do jogo... Mas até nessa parte se perde quando cai na traminha genérica de amizade (Vanellope) com uma criança que muda o cara malvadinho.... Nada que não tenhamos visto em vários outros filmes, fora que não são carismáticos ala nível Disney. Isso acabou tirando o Oscar de animação das mãos da produtora e indo para a Pixar que lançou naquele ano Valente, aliás, tudo Disney do mesmo jeito só que departamentos separados... Tanto é isso que na cena clássica de WiFi Ralph que está em todos os trailers e cartazes que é das princesas Disney juntas, tem uma menção a isso e uma brincadeira com a Merida que foi engraçada ao mesmo tempo que uma alfinetada sutil para quem se lembrar que a disputa do Oscar 2013 na Animação foram entre ambos filmes (Vencido por Valente). Falando nessa parte das princesas que tanto usaram para chamar atenção para essa produção, foi a mesma tática feita do primeiro Ralph de mostrar os personagens mais conhecidos do público e no longa-metragem aparecerem pouco e sem muita profundidade... Aqui só dá uma valorizada maior devido a conversa delas com a Vanellope fazer com que a menina repense algumas coisas sobre sua vida.


Sobre a trama em si... A ideia de explorar a internet se não é prioridade, pelo menos foi mais bem explorada do que os games em Detona Ralph. Os detalhes mesmo em pequenas doses de todo o funcionamento da grande rede em seus destaques como rede sociais, vírus, spam, entre outras coisas tiveram umas ideias boas e senão divertidas, agradáveis com certeza. A história segue em ritmo acelerado o tempo todo, com um roteiro bem básico para o pretexto de entrarem no mundo da Internet e estando lá temos um exploração aceitável de como tudo funciona... Além disso, tem a parte das princesas com a Vanellope que é bem sacada e inteligente, sem dúvida o momento mais interessante e engraçado do filme, pois o que falta durante todo tempo é um humor de risadas... Aonde temos uma ambientação engraçadinha e não cansativa, mas nada que tire sorrisos do público. Por fim, tudo fica previsível quando tem todo o lance com a Shank e de novo historinha de amizade que parece ter em toda produção Disney e Pixar, isso acontece para justificar o plot principal e o ápice que realmente faz jus ao complemento da animação... Quebrando a Internet.


Os traços estão bem feitos, apesar de a franquia ter uma identidade própria de animação, além disso, as cores e a forma de retratar os humanos que usam a internet são chamativas. Trilha sonora não é marcante e faz questão de ser assim (deixa o musical para Frozen 2) e no andamento do roteiro, como não se arrisca e segue como pinceladas da grande rede, propaganda do conglomerado Disney e a mesma ladainha de amizade... Tudo segue bem tranquilo sem nada a reclamar. Na dublagem brasileira deram umas adaptadas para o nosso idioma e citando coisas abrasileiradas, não compromete, só é estranho. WiFi Ralph - Quebrando a Internet continua batendo na tecla da amizade dos protagonistas, mas expande sua jornada em lances pontuais e bem sacados de como funciona a grande rede de computadores. Além disso, não é cansativo, apesar de ser bem simples e não ter aquele humor carismático, só que ai é problema da franquia em si que vem desde o primeiro... Básico e normal, apenas bonzinho.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks