Destaques

Newsletter

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Cinema 532# Operação Overlord

Operação Overlord (Overlord)


Uma Tropa de soldados americanos caem em terras hostis durante a segunda guerra mundial, Boy (Jovan Adepo), Ford (Wyatt Russell), Tibbet (John Magaro, do recente War Machine com Brad Pitt) e Chase (Ian De Caestecker, de Agents of S.H.I.E.L.D) serão ajudados pela francesa Chloe (Mathilde Olliver) na missão deles de explodirem uma base alemã, mas além do perigo nazista, essa equipe descobrirá que algo doentio, maligno  e sobre-humano se encontra nesse lugar em meio à guerra. Elenco ainda conta com Pilou Asbaek (Game of Thrones), entre outros. Direção de Julius Avery e tendo como produtor J.J. Abrams. Distribuição pela Paramount Pictures


O intuito já se percebe nas primeiras cenas que é entreter você com muitos tiros, explosões, mortes e zumbis, basicamente isso, a ideia de misturar uma ambientação da segunda guerra e dando uma fantasiada usando como base os experimentos que eram feitos nas pessoas capturadas pelos nazistas, trás uma ação ininterrupta praticamente, com cenas gores e seguindo uma fina linha de roteiro para seu plot de ficção mesmo, até aí tudo bem, mas algumas coisas ficaram estranhas e não só essa mistura de soldados e monstros. O inicio dá um tom de guerra épico, com cenas muito bem gravadas e efeitos bem convincentes, mas ao decorrer da história tudo vai se perdendo da sua ideia original, pois acrescenta a personagem Chloe e seu irmãozinho que cria um plot e uma subtrama que não combina com o montado até então, depois disso foram recursos para desenvolver cenas ou resolver situações fáceis, como deixar um novato vigiando o vilão da história ou um lança chamas que aparece do nada e a mocinha do filme manuseia como ninguém, isso só uma das poucas várias situações desse tipo. Fora que temos um retalho de referências ou realmente cópias de cenas de outros filmes como Deadpool, Vingadores Era de Ultron, Star Wars: O Despertar da Força, Armageddon e outros, fica dúbio, pode ser considerado tanto como fanservice ou preguiça de roteiro mesmo.


Efeitos visuais (Alguns zumbis estilo Deadpool de Wolverine Origens não ficaram tão legais), design, fotografia e até a montagem estão com uma boa qualidade, as coisas funcionam bem tecnicamente, as cenas gores e explosões, assim como paleta de cores de época estão boas, não deve ter sido um filme barato, por isso não temos grandes nomes no elenco, gastaram na parte técnica. Ainda temos a trilha sonora que dá um tom de suspense que muitas vezes nem está acontecendo nada, só para envolver mais o espectador, mesmo que sem conteúdo que faça por onde. Sobre os personagens, o protagonista é muito quebra ritmo, sua própria personalidade acaba não convencendo dentro de tudo que acontece, os outros soldados, destaque para Ford, aquele velho estilo marrento e obstinado na missão que sempre chama atenção, restante não desagrada, inclusive o vilão, exceção a Chloe e seu irmãozinho... a entrada deles tira da trama soturna e intensa e a joga em algo mais genérico, não fica convincente ter uma subtrama assim. Operação Overlord trás um visual bonito e uma ambientação de guerra misturada com zumbis que dentro de uma proposta de ação, tiros e mortes gores entrega bem, mas ao tentar desenvolver um roteiro mais convincente falha muito em virtude das características do protagonista, da subtrama da personagem Chloe e o excesso de recriar cenas de outros filmes, tentando compensar em uma ação descompromissada. Apenas regular.

https://www.instagram.com/parsageeks/https://sites.google.com/site/parsageeks/
   ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks