Destaques

Newsletter

quarta-feira, 4 de março de 2020

Crítica Cinema | Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica

(Irmãos acima de tudo
By Alan David


Sinopse: Um local que outrora era rico em magia... com o tempo as pessoas foram ficando mais cotidianas e normais. Nisso a fantasia e coisas incríveis foram deixando de acontecer e as pessoas nem se lembram mais de como era essa época. Nesse “novo” mundo temos os irmãos Ian (Tom Holland) e Barley (Chris Pratt) que partirão em uma jornada inusitada atrás de uma joia especial que dará a chance deles estarem novamente com o pai que faleceu quando ainda eram crianças, mas apenas por um dia. Nessa aventura atrás desse artefato, eles irão redescobrir que o mundo mágico ainda existe... além de correr contra o tempo para cumprirem essa missão que mudará a vida deles.  Elenco de dublagem original ainda conta com Julia Louis-Dreyfus, Octavia Spencer, Ali Wong, entre outros. A nova animação da Pixar/Disney tem a direção de Dan Scanlon. Distribuição nacional da Disney/Buena Vista. Estreia 05 de março de 2020. Para assistir ao trailer, clique aqui.

Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica (Onward)


A Pixar salve algumas exceções ou continuações, sempre tem o cuidado em criar mundos com uma dinâmica a ser analisada e desenvolvida dentro de suas cores, traços e personagens que tem a inocência com a complexidade que agrada a todos os públicos. No mundo de Dois Irmãos (Nem  vale a pena comentar essa extensão ridícula do subtítulo no Brasil) é importante você dá uma segurada na comilância de pipoca na hora ou não chegar atrasado a sessão e ficar atento, pois os primeiros minutos são importantes para que você mergulhe nas motivações dos personagens e tudo que envolve aquele mundo faça sentido. Pois a analogia feita naquele lugar de Elfos e outras criaturas mágicas que optam em bater um prego a usar uma varinha para tal, ou de fadas que usam motos ao invés de voar, toda essa percepção mundana consegue transpor um registro de o que é bom ou ruim para como uma pessoa ou família decide viver sua vida. Parece complexo, mas na verdade fica bem interessante essa proposta do roteiro, ainda mais dentro de cenas engraçadas que deixam bem palatável de compreender a dinâmica e motivações dos irmãos Lightfoot e os personagens que eles vão encontrando no meio do caminho. 


Após o inicio que estabelece como aquele mundo funciona, as cenas seguintes precisam de uma paciência maior, já que tem um ritmo muito parado e situações artificiais que parece uma história comum com os dilemas de adolescentes (Mesmo elfo) que é... tentar se enturmar, vergonha das esquisitices da família e muita insegurança. A partir do momento que acontece o plot principal que eles percebem que a magia ainda existe e com a chance de ver o pai novamente, então as coisas melhoram. A bizarrice do meio pai (Está no trailer) que eles precisam completar já é algo estranho por si só, mas que você vai se acostumando e cada vez mais fazendo sentido para dinâmica dos rapazes. A partir daí é aventura, correria, alguns dramas esperados de irmãos que vai dentro de uma narrativa de fases, pois a cada parada e encontro com alguns personagens no caminho... a história ganha corpo e aquele inicio se mostra bem mais importante que uma simples introdução. Nessa paralela temos a jornada da mãe atrás dos filhos fujões, servindo apenas como alivio cômico não muito funcional. Sobre a polêmica levantada de ter um personagem gay (Policial Ciplope)... a cena tem nada demais, passa desapercebido, pois o foco ali são os protagonistas tentando enganar duas policiais para seguir em frente atrás da joia mágica, muito barulho por nada.
 

O roteiro trabalha bem na personalidade de cada irmão... Ian é o mais introvertido, tem uma lista de coisas simples como objetivo de vida do qual não consegue realizar, fora a saudade do pai... já que ele era muito novinho quando ele faleceu. Barley é mais velho, animado, bem nerd e que acredita demais que ainda exista magia no mundo, não só em jogos e livros. Quando eles saem na jornada uma coisa é bem curiosa, pois Ian desperta coisas que Barley sempre acreditou que existisse, ao contrário de termos situações de ciúmes e coisas do tipo... ele o incentiva e acaba se tornando o maior torcedor do irmão mais novo, do qual o próprio não acredita em si mesmo. Nessa dinâmica de vai e vem, a magia vai ficando mais presente em tela, mas nada o preparará para o final dessa aventura... Sem dar spoiler é claro, se prepare, pois de um jeito que mesmo chegando até ali de uma forma não tão linear, as coisas vão se encaminhando para algo que vai deixar muita gente bem emocionado. A quebra de paradigmas e a decisão de como terminar aquele plot (Não a história em si, isso foi meio que óbvio) e como trabalhou a relação entre irmãos, foi uma coragem que Frozen 2 não teve, que seria extrair mais do que é uma amizade e importância familiar para os personagens, nisso é uma baita ponto positivo para Dois Irmãos, por te levar a um clímax emocional que faz sentido.
 

Sinceramente eu fiquei um pouco decepcionado com os traços dos personagens, senão fossem as cores vivas e as movimentações em cenas dentro de alguns acontecimentos de ação... pareceriam aquelas animações mais comuns sem grande orçamento que saem de vez em quando para os cinemas. Faltou um melhor acabamento deles, todos meio durões em movimentações curtas, para uma Pixar faltou mais vida nesse quesito, dela sempre se espera a excelência, mesmo o design da concepção em si daquele mundo ser interessante. A trilha sonora entra no tempo certo. O roteiro é explicativo nas falas do Barley de como funciona tudo, mas algumas ramificações narrativas que não seja o plot principal ficam meio jogadas, já que o foco é a jornada dos irmãos,. Sobre a dublagem... Assisti em português e não tenho do que reclamar, aliás são os mesmos dubladores do Tom Holland e Chris Pratt no Brasil, então fica melhor ainda a familiarização das falas, bem tranquilo. Dois Irmãos - Uma Jornada Fantástica conduz os protagonistas de uma forma bem objetiva da missão deles... mesmo deixando umas sobras no meio do caminho e que dentro da sua principal proposta tudo vai sendo construído para um final surpreendente e emocionante, mostrando a verdadeira importância no sentido família, fugindo do artificial.

Obs.: Biografias de atores e filmes IMDB. As imagens foram disponibilizadas pela assessoria da distribuidora do filme.
  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: contato.parsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks