Destaques

Newsletter

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Crítica Cinema | Luta de Classes

(Comédia não carente de elementos dramáticos e românticos e com diversidade de situações)


Sinopse: Como todos sabem, as crianças não fazem diferença entre classes sociais, cor da pele ou religiões. Mas então por que Corentin (Tom Lévy), o filho de Paul (Edouard Bauer) e Sofia (Leïla Bekhti), tem apenas amigos que se assemelham a ele? E quando todos os seus amigos se mudam para uma escola particular parisiense, seus pais se assustam. Agora, Corentin é o único em sua classe... Mas o único que?. Elenco ainda conta com Ramzy Bedia, Baya Kasmi, entre outros. Comédia francesa dirigida por Michel Leclerc. Distribuição nacional da A2 Filmes. Estreia 24 de outubro de 2019.

Luta de Classes (La Lutte des Classes)


O título do filme é parcialmente enganoso. Porque quando o potencial espectador vê essa expressão, a primeira associação que muito provavelmente fará será com uma guerra social e política, com uma batalha social, um confronto de setores sociais economicamente diferentes, etc. Pode-se supor que se estará diante de um drama denso e até violento. Nada disso acontece neste caso.


Luta de Classes é uma comédia dramática sobre um casal com um filho em idade escolar. Difícil de ser avaliada não por ser extremamente densa ou pesada, mas sim pela diversidade de elementos que apresenta. Inicia seu caminhar com componentes excêntricos e ruptura da lógica racional por meio do absurdo e o exagerado. Por exemplo, o pai da criança protagonista (Edouard Baer) usa um penteado que não combina com sua condição e até idade, utiliza um monte de anéis, toca bateria de modo exaltado, dança de forma desajeitada, etc.



O menino (Ramzy Bedia) também tem atitudes pouco convencionais, sendo a mãe a mais equilibrada de todos. Com relação a esta última, resulta ser a melhor atuação – feita por Leïla Bekhti. O filme apresenta, além de desajustes sociais, músicas românticas, momentos de rebeldia política (talvez por isso o título) sem que seja revolucionária, algumas pitadas do tema do homossexualismo, solidariedade com os refugiados na França, música punk, alguns gags, e muitas situações vinculadas à diversidade, os ajustes e desajustes diante daqueles que são de outras culturas, religiões e costumes. Em Luta de Classes as cenas cômicas e dramáticas se alternam, com picos, como se fosse uma espécie de gráfico próprio de um eletrocardiograma, até chegar a um bom final romântico.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks