Destaques

Newsletter

segunda-feira, 15 de abril de 2019

Crítica Cinema: After

(Falho em todos os sentidos)


Sinopse: Tessa (Josephine Langford) está ingressando na faculdade, uma menina recatada que segue os planos que sua mãe fez para sua carreira, além de ter uma vida perfeita com namorado de infância e tudo mais. Mas nessa nova fase acadêmica, um novo mundo se abre e a garota conhece Hardin (Hero Fiennes-Tiffin) um badboy que também tem seu lado sensível, nisso um grande amor nasce entre os dois e Tessa vai ter sensações e desafios que nunca teve. No elenco temos Selma Blair, além de um grande elenco jovem. Direção de Jenny Gage. Distribuição nacional da Diamond Films.

After


Adaptado do livro homônimo da autora Anna Todd que nada mais é que uma série de livros fanfic de Harry Styles da banda One Direction. Em um total de oito livros até o momento (Seis cânone e dois spinoff). A história se baseia na primeira obra escrita de 2014 que é contar a evolução de uma menina recatada que vê um mundo se abrir aos seus olhos e um garoto descolado que tem seus próprios dilemas interiores do que ser apenas o badboy da vez. Bem simples, não li o livro, baseado no que vi no cinema, ele consegue entregar essa ideia, mas de uma forma tão mal feita... tanto em conceito como tecnicamente, que acaba sendo uma experiência muito desnecessária assistir esse longa.


O roteiro inclui um monte de temas batidos e situações sem a menor qualidade para os dias atuais... Até porque o livro que originalmente se baseia o longa, também não é antigo (2014)... Então não tem motivos para criar situações tão cafonas ruins e previsíveis para mais um romance teen... Isso até você lembrar que é uma fanfic de integrante de banda pop... Então fica meio claro que a coisa não andaria legal, pela menos nessa primeira história (Tem mais livros para adaptar caso tenha continuação). Tudo está incluso nessa narrativa: A menina recatada, o badboy que muda a garota boazinha e acaba mudando também, o namoradinho nerd de infância, a mãe controladora, a garota malvada, a colega de quarto de faculdade que é o ombro amigo, um carinha que só serve para ser amiguinho... Situações batidas de romance jovem e com um ápice narrativo mais raso o possível para justificar uma ruptura desse amor, até voltarem novamente. A coisa nessa trama é tão sem criatividade, que o grande segredo do filme é construído de uma forma tão sem peso, somado a diálogos e justificativas bem ruins que fica difícil acreditar e comprar a ideia. Além de estereotipar tudo, o roteiro passa algumas mensagens erradas de traição e submissão. As semelhanças com Cinquenta Tons (Outra fanfic) são enormes, inclusive nas mudanças de atitudes do casal, a diferença que um é milionário e em After o garoto até tem berço, mas é o badboy dos livros... Fora que o motivo maior do seu inferno interior é jogado ao ar sem nenhum impacto que deveria causar. Aliás, nada é desenvolvido de forma satisfatória nessa celeuma toda. Voltando a comparar com a jornada de Anastasia e Christian Grey... A trilogia de Cinquenta Tons tem vários defeitos, mas ninguém pode reclamar que é mal produzido, aqui nem isso...


Parte técnica desastrosa... Tem lances de câmera falhas que deixam espaços e uma escuridão em cenas que não era para ser assim, parece feito com orçamento muito baixo ou por amadores. Montagem sem o menor sentido, tem cenas de chuva que ela está de cabelo seco, entra no carro e quando sai está molhado, isso só para começar, fora que o grande "ápice" da trama é de uma edição tão mal feita que você não entende nada, até porque as motivações para tanto não fazem o menor sentido. As músicas dão nos nervos, no primeiro minuto você já começa a odiar, cenas que não acontecem nada, o som eleva em um tom alto que não bate com o que é apresentado, tudo para mascarar um roteiro ruim, querendo passar que jogar a música no último volume é uma forma de mudança dos personagens, ah sei... Tudo mal dirigido, não consegue transpor credibilidade ou naturalidade na história, quando você não funciona nem em roteiro e nem em técnica... vira atestado de incompetência. Sobre o elenco... Josephine Langford fez o que pode, mas é engolida na sua própria personagem que é bem enjoativa. Hero Fiennes-Tiffin, horrível e não consegue entrar no personagem, pois sua desenvoltura é dura e com um sotaque no modo de falar (Assisti legendado, então a versão dublada pode ajudar nessa parte) que parece está em outro longa e não em um romance adolescente, precisa de mais aulas de atuação. Restante do elenco teen ninguém se destaca (O que é ruim, já que tem tantos), por fim, Selma Blair a veterana do elenco, no que sua personagem tem que fazer, não compromete. After é um desastre natural de roteiro e produção, onde consegue falhar miseravelmente em contar um simples romance de mudanças através do amor... Coisa batida, não tinha o que errar, mas erraram... Só não leva zero porque apesar das mensagens erradas, por não ser intenso, acaba não sendo ofensivo e também pela Josephine Langford e Selma Blair que fizeram o que podia dentro da mediocridade cinematográfica que essa obra se tornou, vai ter que melhorar e muito para ficar talvez regular em uma possível sequencia, pois o mostrado agora é candidato fortíssimo a pior filme do ano.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks