Destaques

Newsletter

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Crítica Home Vídeo: Bird Box (Caixa de Pássaros)

(Muito Marketing para pouco filme)


Sinopse: Algo inesperado e sem explicações acontece na Terra, pessoas veem criaturas que surgiram misteriosamente do nada e começam a suicidar-se. O caos toma conta do planeta e dentro desse ambiente apocalíptico temos Malorie (Sandra Bullock, Oito Mulheres e um Segredo) que tenta a todo custo levar seus dois filhos a um abrigo seguro em uma jornada que precisarão fazer de olhos vendados, porque ao menor contato visual com esses monstros a morte será certa. Elenco ainda conta com Trevante Rhodes, John Malkovich, Sarah Paulson, entre outros. Direção Susanne Bier (Serena). Produção Universal Pictures e com distribuição exclusiva no serviço de Streaming da Netflix.

 Homem Vídeo 007: Caixa de Pássaros (Bird Box) 


A Netflix está ficando boa em distribuir filmes que são comparados com outros que saíram primeiro e foram bem elogiados pela crítica e público. Depois de Mogli de Andy Serkis ser comparado ao Mogli de Jon Favreau... Agora é a vez de Bird Box ser comparado ao Um Lugar Silencioso, pois a premissa é a mesma, aonde lá é não fazer som para não ser morto por monstros, aqui é não vê-los, pois ao menor contato visual, algo no cérebro ativa e faz com que a pessoa se mate. Verdade seja dita antes de começar a falar do filme... Ele é baseado em um livro que veio antes, então ele chegou primeiro, como não li o livro, só posso me basear no que eu vi que está no Netflix e o que eu vi é uma narrativa problemática e muito marketing dentro de uma história que está com muitos problemas de condução.


Ao começar pelo erro em que temos duas linhas do tempo paralelas. Uma na qual Malorie (Bullock) está no presente com o mundo já todo ferrado que ela tenta chegar ao tal abrigo com as crianças, atravessando um rio de olhos vendados... Na outra linha do tempo que se passa 5 anos antes é o inicio desse apocalipse, até ai normal, já esperava, mas então vem a grande cagada do roteiro... O tempo maior de tela para um grupo de sobreviventes que ficam em uma casa com a protagonista, pois ao invés de resolverem isso logo, esse "passado" toma a maior parte do tempo, criando estruturação e subtramas a personagens que você sabe que vão morrer, pois no presente Malorie está sozinha com as crianças e o pior você inicia tudo com ela grávida e logo entra uma nova personagem que entrega também o fato dela estar com duas crianças na parte tempo real da trama. Então você estraga surpresas, cria um monte de personagens que você não está nem aí porque sabe que  eles tem vida curta na história e tendo pessoas no grupo que  se cria um certo envolvimento entre ambos e depois se mandam e fica por isso mesmo. Isso é meio complicado, pois você fica assistindo um filme que a maior parte dele não leva a nada. Isso nem serve muito como aprendizado a Malorie que é uma personagem tão dura de sentimentos que quando se solta, não convence. Agora vamos na parte da mística desses monstros ou seja lá o que for que fazem as pessoas se matarem.


A ideia é boa, cria um ambiente tenso e com uma condução interessante aonde essas criaturas não podem ser vistas. Não fica claro em nenhum momento se são aliens, monstros ou alucinações. Durante a trama são dadas algumas pistas seja um personagem falando sobre criaturas místicas ou sendo mostrado alguns rabiscos de coisas que parecem aliens... E até mesmo nas notícias da TV antes do fim do mundo que dá a entender que a coisa começou como se fosse um vírus... Só fica mais claro que é algo físico porque a própria Sandra Bullock em entrevista diz que a cena final mostrando o bicho responsável pelas alucinações foi cortada porque não parecia tão imponente e ameaçador como toda atmosfera até então da história tinha mostrado. Se for assim, então melhor não ter mostrado mesmo, apesar de ser meio frustrante, pois você passa a maior parte do tempo com um elenco que você sabe que não vai durar nenhum fora a protagonista e as crianças, faz um final bem sem graça que não trás uma emoção ou impacto que parecia e prometia ter, além de ficar tudo aberto. O fato de perguntas sem respostas não quer dizer que seja uma má decisão, Um Lugar Silencioso não tem muita explicação, fora as regras de como escapar dos monstros, mas em Bird Box está cheio de exceções não explicadas e sem sentido, o fato de termos algumas situações não sustentam a trama, pois com o tempo as pessoas também ficariam nesse estágio após tantas tragédias e sua decisão final do tal abrigo é outra coisa bem controversa, isso tudo porque você pode até não explicar origem da ameaça em si e não revelar o visual da coisa, deixando em suspense... Mas se você cria um roteiro que o foco é evitar de alguma forma ser atacado sem embate direto, então precisa explicar direito sim as regras para isso, senão fica a dúvida, mas não a boa... E sim a ruim, fazendo parecer que todas as situações foram decisões forçadas de roteiro para dar uma tensão e suspense no filme. Ah para não falar que estou só  pegando no pé, o fato de chamar Bird Box (Caixa de Pássaros) é bem elaborada, fazendo sentido pelo menos na decisão imediata de evitar essas criaturas.


Na parte técnica não compromete. Boa direção de arte, aonde tudo é ambientado no sentido que a fotografia vai se deteriorando conforme a ameaça se espalha. Nas cenas presentes no rio são bons planos abertos, aliás, isso é o que não falta, sempre dando a impressão que vai mostrar as criaturas, nas nunca mostra. Além disso, a parte sonora é boa, existe tensão sim, as coisas ficam feias em vários momentos que exige uma ação e um suspense funcional, como todo Survival faz... Mérito da produção por toda essa montagem, assim como a edição, mas fica prejudicada por entregar mais do passado e fazer do presente um grande spoiler. Fechando a parte técnicas com os efeitos especiais mais práticos de cenas de sangue e tal, são boas, mas não são muito chamativas. Sobre o elenco... Sandra Bullock no que era sua personagem foi bem, nada fora de série, pois a maldita casa que ela e o grupo ficam acaba minando um maior desenvolvimento dela, o restante do elenco de nomes como Sarah Paulson, Malkovich e Trevantes... Todos entregam bem, apesar de que são descartados de forma muito avulsas, principalmente os dois primeiros e os outros aqui não citados. Bird Box (Caixa de Pássaros) é um filme com um enorme barulho em cima dele que realmente vai do gosto de cada um, mas se a pessoa assistir Um Lugar Silencioso vai ter uma aula de como se faz um Survival que consiste em evitar monstros dentro de regras, pois nesse aqui temos decisões de roteiro erradas, buracos que deixam mais dúvidas técnicas do que mistérios e fecha de forma aguada no que parecia que seria mostrado, pois dava a entender que teríamos algo melhor elaborado e inteligente sobre esse mundo criado pós essa crise apocalíptica. Confesso que o longa-metragem não me encantou (deu para perceber no texto rs), muito pelo contrário, muitas possibilidades que foram desperdiçadas em um filme fraco.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks