Destaques

Newsletter

sábado, 5 de janeiro de 2019

Crítica Cinema: Dragon Ball Super - Broly

(Um tributo aos fãs antigos e novos dessa franquia de muito sucesso)


Sinopse: No passado, o Planeta Vegeta (Lugar aonde nasceram Goku e Vegeta)  que apesar de serem uma raça de guerreiros e conquistadores... Os Saiyajins eram liderados pela tirania de Freeza. Nessa época um bebê chamado Broly nasceu com um poder que desafia qualquer lógica, por isso, o Rei Vegeta o exilou para longe de lá, aonde o menino e o pai dele ficaram presos em um planeta inóspito. Muitas coisas aconteceram desde então (Freeza explodindo o Planeta Vegeta, Goku vindo bebê para a Terra e toda trajetória do anime e mangá Dragon Ball que vai do Goku criança  encontrando a Bulma até ele já sendo avô. Sendo que sua última aventura mostrada foi ano passado no Torneio do Poder na série Dragon Ball Super que ele e seus amigos participaram). Freeza está atrás das esferas do dragão novamente e inesperadamente seus homens encontram Broly e seu pai após muitos e muitos anos exilados, vendo o potencial de poder enorme do Saiyajin, o vilão bola um plano para que ele derrote Goku e Vegeta na Terra. O que ninguém esperava era que o poder de Broly supera qualquer coisa já vista antes por eles e ainda fica pior... Já que o próprio Broly não consegue controlar tamanha energia de luta. Terceiro filme da franquia Dragon Ball Super. Direção de Tatsuya Nagamine com roteiro do criador da franquia o Akira Toriyama. Dublagem brasileira praticamente a mesma do anime, incluindo Wendel Bezerra na voz de Goku. Distribuição nacional pela Fox Film do Brasil.

 Cinema 558: Dragon Ball Super - Broly


Falar sobre o que é Dragon Ball e toda sua jornada seria impossível aqui nessa crítica, já que é uma trajetória gigantesca que fará 35 anos em novembro (data da criação do mangá). Sem contar os quadrinhos japoneses de onde se originou as aventuras do Goku... Na TV já tivemos 153 episódios intitulo de apena Dragon Ball (1986-1989), depois mais 291 episódios intitulados Dragon Ball Z (1989-1996), depois 64 episódios chamado Dragon Ball GT (1996-1997), então tivemos um hiato de 12 anos quando chegou Dragon Ball Kai (2009-2015) que reconta a fase Z de forma mais resumida em 159 episódios (167 na versão americana e brasileira), em seguida chegou Dragon Ball Super (2015-2018) que praticamente ignora a fase GT e conta uma nova história de 131 episódios que ao fim delas temos a sequência nesse filme Dragon Ball Super - Broly. São um total de 798 episódios (806 para o Brasil), isso sem contar quase 20 filmes que tivemos ao longo desses anos, além de especiais para TV. Uma diferença dessas histórias para as telonas era que nunca fizeram parte da cronologia das séries, eram tramas alternativas e de lá surgiu o Broly que ganhou o carinho dos fãs que sempre sonharam que o personagem fosse cânone desde então, sendo que o mais perto disso foi sua versão feminina em Dragon Ball Super, agora tudo mudou, porque além dele outros personagens que eram apenas do mundo de longas para TV ou Cinema passaram a fazer parte do mundo "real" de Dragon Ball. Lembrando que os dois primeiros filmes de Dragon Ball Super intitulados A Batalha dos Deuses e O Renascimento de Freeza apesar de serem ligados, só passaram a serem considerados da série Super depois que o anime se iniciou e cobriu esses dois longas metragens nos vinte e poucos episódios iniciais. Resumindo... É um universo vasto e gigantesco de Goku e cia, pois não se limita em ser apenas uma simples história de luta fechada, são muitos caminhos e uma linha de marketing gigantesca e sem precedentes que gera uma fortuna para os japoneses dentro dessa obra do seu autor o Akira Toriyama.


Sobre a trama em si... Não tem muitos segredos, uma porradaria sem fim (Da metade do segundo ato para frente), sem grandes reviravoltas, Goku e Vegeta sendo testados ao extremo e uma identidade visual de batalhas de encher os olhos para os fãs da série. O que chama atenção que é uma história de origem e que se passa muito tempo mostrando o planeta natal dos Saiyajins e uma importância de construção do personagem Broly que eu não esperava, aliás, ele é o protagonista da trama e o que mais aparece, pois são criadas camadas em sua personalidade que não existiam nos clássicos filmes dos anos 90. Além de inserir outros personagens que até então não eram considerados parte da linha temporal da série, um tributo aos apaixonados por Goku e os outros guerreiros, pois está ajeitando a cronologia para se desprender dos longas antigos que não faziam parte do cânone de Dragon Ball mas que tinham personagens interessantes que acrescentariam a franquia na série regular. Da narrativa em si... O primeiro ato é praticamente trabalhando nisso do passado, foi paciente em desenvolver uma forma mais sensata de colocar alguém como o Broly em confronto com Goku e Vegeta na Terra e ainda envolvendo o Freeza de uma forma que não fosse tão forçação de barra do roteiro para criar tal confronto. Depois da uma acelerada porque era a hora da porradaria, isso quando se inicia vai de vento em poupa, os marmanjões fãs da franquia e a molecada não vão se decepcionar com o apresentado. Aliás, o trabalhado de personalidade de Broly é tão mais cuidadoso que nos filmes clássicos que você torce para que não seja o mesmo destino que foi nas histórias à parte da série.


Os traços são variados dentro de 1h40 de duração, pois tem momentos que estão impecáveis e em outras... Algumas cenas estão mal desenhadas, coisas que acontecem na série regular e na maioria desses animes duradouro, pois para manter o ritmo de episódio toda semana, vários episódios são feitos ao mesmo tempo com equipes gráficas diferente. Isso espanta, pois se trata de um longa metragem e nos dois anteriores os traços são iguais e muito bons, agora ficou devendo, menos mal que nas lutas não variaram muito. Parte sonora é boa, a primeira luta de Goku com Broly tem um lance com uma trilha que funciona legal e sobe no ritmo da batalha. Sobre edição e construção de roteiro, o andamento da história é bem simples, mas objetivo, Dragon Ball é luta em sua essência. A dublagem muito boa como sempre, não tem como Wendel Bezerra ficar de fora (Goku no Brasil só na voz do Wendel) e todos os outros dubladores originais brasileiros... Sejam do Vegeta, Picollo, Bulma e cia. Dragon Ball Super - Broly é uma celebração aos fãs antigos e aos novos que acompanharam a última série televisiva  (DBS) que se encerrou no ano passado. Trás elementos que estavam em outra linha do tempo da franquia e os encaixou de forma satisfatória, entregando o fan-service de um jeito aceitável e batalhas que visualmente são ricas devido ao poder do carisma e das cores em Dragon Ball. O melhor dos últimos três filmes, dentro do que é a proposta do anime, entrega bem. Ficou bom mesmo.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks