Destaques

Newsletter

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Cinema 535# Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (Fantastic Beasts: The Crimes of Grindelwald)


Após os eventos do filme de 2016, Grindelwald (Johnny Deep) foge enquanto era transferido para uma prisão de segurança máxima e começa a recrutar seguidores para seu ideal de supremacia dos bruxos sobre os não mágicos, sendo que ele tem um interesse especial de trazer Credence (Erza Miller) para seu lado, o detentor do Obscurus não morreu e está cada vez mais confuso sobre sua origem e poder. Em Hogwarts o jovem Dumbledore (Jude Law) pede à Newt Scamander (Eddie Redmayne) para encontrar Credence antes de Grindelwald em Paris. Para essa nova aventura ele vai ter ajuda outra vez de Jacob (Dan Fogler) e da Tina (Katherine Waterston). Além disso, teremos Queenie (Alison Sudol), Leta Lestrange (Zoë Kravitz), Theseus Scamander (Callum Turner), Nagini (Claudia Kim), Yusuf (William Nadylam) e Nicolas Flamel (Brontis Jodorowsky) que estão nessa aventura, alguns para ajudar e outros para atrapalhar a missão de Newt. O Wizard World de J. K. Rowling está de volta e novamente com a direção de David Yates (dirigiu todos os filmes do mundo Harry Potter desde A Ordem da Fênix). Produção e Distribuição da Warner Bros.


Dessa vez a história expandiu demais, a inclusão de muitos elementos do mundo Harry Potter, somado a muitas subtramas deixaram o roteiro em si meio espaçado. Como ritmo de trama ficou meio truncado, muitas coisas acontecendo e pouco tempo para desenvolve-las, além de algumas decisões sobre alguns personagens meio questionáveis. Primeiro a Queenie aonde sua personalidade mudou, logo na primeira cena com Jacob e Newt você já nota algo errado que vai se confirmando durante a trama dela, virou uma nova pessoa do nada. Em segundo temos Credence, gosto do Erza Miller, mas em Animais Fantásticos não funciona, ele não consegue atuar bem nesse papel e seu personagem deveria ter encerrado sua jornada no longa anterior, eles desconstruiram sua origem e montaram outra agora, para depois destruir novamente e   deixando uma confusão enorme, que ficará maior no final do filme você verá. Terceiro é a Leta Lestrange criaram todo uma estrutura para a jornada dela que ficou estranha e só enxertou mais a história, são os três pontos que me chamaram atenção negativamente, agora vamos as partes que não estragam o filme, mas não somam muita coisa. Parecia que teríamos algo mais impactante, pois são mais de 2 horas que não cansam devido ao visual e você querer saber aonde vai dar tanta histórias em paralelos, mas com um final que rodou rodou e pouco contribuiu para algo relevante, a não ser algumas perguntas sobre elementos que foram adicionados, então espera-se que nos próximos três filmes a coisa ande, pelo menos no Onde Habitam foi tudo fechadinho e conciso dentro da jornada de Newt, que nesse são tantas coisas acontecendo que ele não acrescenta muito pois até sua história com seu irmão (Theseus) não teve muito tempo de tela devido à tantos personagens sendo desenvolvidos, sua diferença como protagonista em Os Crimes de Grindelwald é levar o Pelúcio sempre com ele (precisará assistir para entender do que eu falei agora rs).


O pior de ter muitas de coisas acontecendo em paralelo que uma hora vai ter que juntar tudo e se faz isso... mas de uma forma brusca demais, dando a nítida impressão que no corte final deixaram cenas de fora. Para não ser chato, vamos as coisas boas... Johnny Deep aprovado como Grindelwald,  Dan Fogler é incrível como o carisma do seu Jacob funciona não só nas cenas com Newt, Jude Law achei que iria se destacar mais e não acontece, muito é culpa da trama do seu personagem nesse filme que atrapalha contribuir melhor para a aventura de Newt e cia, no próximo isso deve melhorar... e fechando a parte individual com o personagem Nicolas Flamel... quem leu e (ou) assistiu A Pedra Filosofal não imaginou que o veria desse jeito e foi bem diga-se de passagem, contribui bastante no final, são os que tiveram destaque positivo (negativos e o Newt já foram mencionados acima, dos que valem a pena citar). Óbvio que quase tudo tecnicamente funciona... efeitos, fotografia, trilha sonora, design e etc (exceção a montagem que peca em algumas partes). Poder vê novamente Hogwarts deu aquela nostalgia gostosa (eu li e tenho todos os livros e assisti os filmes), a cena da fuga de Grindelwald é muito boa, assim como as cenas de Newt com os poucos animais que ele interage nessa história. Vale destacar o final com efeitos especiais grandiosos que merecem ser visto na maior tela que você puder assistir nos cinemas. Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald trás um visual incrível, referências que vão aquecer os corações dos fãs de Harry Potter, efeitos belíssimos e alguns personagens que tomaram para sim esse longa como Jacob, Grindelwald, Flamel e Pelúcio. Em contrapartida se expandiu demais, muitos personagens com  subtramas que criaram vários núcleos e depois juntou tudo de uma forma não muito natural em uma experiência de roteiro final que deu a impressão que a história não andou muito como deveria. Tirando a média ficou bom, mas com uma sensação que faltou algo e a certeza que o primeiro filme foi melhor.

https://www.instagram.com/parsageeks/https://sites.google.com/site/parsageeks/
   ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: blogparsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks