Destaques

Newsletter

quinta-feira, 4 de junho de 2020

Crítica Cinema | A Guerra de Anna

(História de uma menina judia que foge na Rússia da crueldade nazista, em forma difícil, com muita resistência vital)
By Tomás Allen


Sinopse: Uma garota judia recupera a consciência sob uma camada de terra negra. Ela está em uma vala comum. Anna (Marta Kozlova) tem seis anos e está viva graças a sua mãe, que morreu para que ela sobrevivesse. Toda a família de Anna morreu durante a execução em massa de judeus, em 1941, na União Soviética. Pelas próximas centenas de dias, Anna se esconde na lareira abandonada do escritório de um comandante nazista. De seu abrigo, ela observa a vida passar até a vila ser libertada dos nazistas. Nessas condições desumanas, Anna não apenas sobrevive, mas mantém sua humanidade. Muitos fatores a ajudam: lembranças da vida varrida pela guerra, os fundamentos culturais lançados pelos pais e um amigo que a salva da solidão.  Elenco ainda conta com Lyubov Vorozhtsova, Vladimir Sapin, entre outros. Direção de Aleksey Fedorchenko. Produção russa com distribuição brasileira da A2 Filmes. Estreia 28 de maio de 2020 em streaming no Cinema Virtual. Para assistir ao trailer, clique aqui.

A Guerra de Anna (Voyna Anny)


Filme russo que encaixa em uma linha histórica dentro da filmografia desse país. Como é um episódio baseado na vida de uma menina que foge dos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, faz lembrar os títulos dessa origem dos anos 1950 e 1960. (A Carta Que Não Se Enviou, Quando Voam as Cegonhas, etc. ). E, também, outros mais recentes (Vá e Veja, de 1985). Todas realizações muito duras, de não fácil visualização nem digestão, trazendo os horrores da guerra como protagonista, com a resistência e contragolpe soviético aos alemães ao longo dos anos (1941 – 1943).


Anna é uma menina judia que sobreviveu a um massacre e teve que esconder-se em um local abandonado, sem recursos e sozinha. O relato tem pouquíssimas palavras, cores apagadas, poucos fatos – alguns menores e outros mais relevantes, mas todos com o selo da angústia, da perseverança, da astúcia e até da sorte. O tempo todo está presente o que em psicologia se denomina resiliência, qualidade que caracteriza as pessoas que conseguem sobrepor-se a fortes adversidades. Anna é um exemplo notável dessa condição. Isso faz lembrar, necessariamente, a história de Anne Frank. Adolescente alemã, também de origem judaica, que, como Anna, passou anos escondida dos nazistas em um quarto. Seu diário conseguiu difundir suas peripécias, em modo mais extenso que as de Anna. Mas os casos são similares.
 

O filme dura 74 minutos e não tem outros acontecimentos nem objetivos que os já antecipados: a dura, férrea, resistência da pequena protagonista. Porém, é, por outro lado, um convite à reflexão de como podem os seres humanos ter tanta perversidade (embora apareçam casos isolados de empatia com a menina). A Guerra de Anna interessará aos que valorizem a memória histórica, ainda que isso represente um esforço emocional.

Obs.: Biografias de atores e filmes IMDB. As imagens foram disponibilizadas pela assessoria da distribuidora do filme.
  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: contato.parsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks