Destaques

Newsletter

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Crítica Cinema | As Panteras

(Dando voltas e entregando pouco)


Sinopse: As Panteras estão internacionais, atuando no mundo todo quando chamadas. As coisas seguiam normais com as suas missões e após a aposentadoria de John Bosley (Patrick Stewart), um novo chefe tomará seu lugar (Elizabeth Banks). Os problemas começam nesse intervalo de sucessão quando as agentes Sabina (Kristen Stewart) e Jane (Ella Balinska) saem em uma missão para conseguir informações da engenheira tecnológica Elena (Naomi Scott) sobre uma tecnologia nova que pode ser usada para o mal, tudo dá errado e as coisas começam a sair do controle, agora Elena vira alvo e as Panteras vão precisar ajudá-la ao mesmo tempo em que estarão no meio de uma conspiração devido a esse artefato tecnológico onde o inimigo pode está mais perto do que elas imaginam, com isso... Elena vai precisar aprender como ser uma Pantera também. A nova geração da franquia também tem no elenco Djimon Hounson, Noah Centineo, Sam Clafin, entre outros. Direção e roteiro da própria Elizabeth Banks. Produção e distribuição da Sony Pictures. Estreia 14 de novembro de 2019. Para assistir ao trailer, clique aqui.

As Panteras (Charlie´s Angels)


As Panteras além da séria clássica... A franquia ficou bem conhecida pelos dois longas de 2000 e 2003 estreladas pela Cameron Diaz, Lucy Liu e Drew Barrymore. O elenco das girlpowers foi bem adaptada às atrizes, mesmo o roteiro não sendo lá essas coisas, as meninas tinham muita presença de tela, além de química e tom para ação. Agora, essa nova geração com Kristen Stewart, Naomi Scott e Ella Balinska traz uma abordagem mais atual, de um empoderamento maior, no qual deixa a questão agentes mais de lado para marcar presença em atitude, carisma e mostrar o poder da mulher, com uma extensa trilha sonora, belos cenário e infelizmente pouca história...

 
O fato de querer mostrar a força feminina, pincelar na personagem da Elena as dificuldades de conseguir espaço de destaque em ambientes de trabalho outrora dominado pelos homens é louvável, mas fica o tempo todo batendo nisso, sem relaixar. Nisso, o roteiro se enrola todo com o elenco masculino, pois os querem diminuir ao mesmo tempo dar uma importância para usar o contraponto com o lado femino que acaba ficando artificial, pois se os usassem de forma correta... isso iria deixar as Panteras mais fortes já que o roteiro queria tanto usar os homens... mas pelo motivo de os estereotiparem ao extremo, isso dificulta... pois fica nesse meio termo de guerra dos sexos e com isso o desenvolvimento de Kristen, Naomi e Ella no longa não deixa convincente em serem as girlpowers da sedução, força e ação que a geração anterior teve e que seria importante para entender melhor a mensagem que o longa quer entregar. A trama toda é muito superficial, chegando a ser bobinha, tenta envolver umas reviravoltas tão mal feitas que fica difícil de prender a atenção. Os três atos parecem um só, porque em cada um deles a história faz a mesma coisa de mostrar do que as meninas são capazes, uma cena de ação mediana e um "climax" ao som de alguma música animada. Finalizando de forma bem sem sal, já que pelo vilão final ser quem é... não proporciona um encerramento grandioso visualmente que possa pelo menos compensar as subtramas medianas para ruins que vão acontecendo durando o filme. Após isso, tem umas cenas pós tudo acabar onde temos umas participações especiais que dão até uma graça que não tivemos durante todo tempo até ali., pois as coisas ficam enroscadas e não conseguem desenrolar humor e ação de jeito como desejava.


As locações são muito boas, assim como as trilhas sonoras e o estilo das Panteras. O figurino e a forma desenvolvida visualmente me surpreenderam. Pena que Elizabeth Banks não entendeu direito do conceito a aplicar no filme, pois trouxe elementos atuais, mostrar a força da mulher nos dias de hoje, assim como as dificuldades, mas se perde muito no roteiro e isso deixa chato a narrativa, além dos furos nos pontos importantes da resolução do grande vilão da história, se perdeu bem nos dois terços finais do filme. Sobre o elenco... Kristen Stewart me agradou no tom de comédia e desenvoltura debochada, mas isso tirou a força que tem uma Pantera, assim como suas companheiras de grupo não passam segurança... já que Ella Balinska tem um desconto por ser atriz novata, mas está fraquissima atuando, não parece verdadeira em tela e Naomi Scott é boa atriz, só que foi prejudicada pela construção da sua personagem, toda perdida e tentando ser um outro alivio cômico como Kristen, mas falha muito. Elizabeth Banks e Patrick Stewart com personagens parecidos acabam prejudicando-se em suas jornadas, pois não parecem naturais dentro do que a história precisa. Restante do elenco só para mostrar contrapontos entre homens e mulheres que não trazem grandes coisas. As Panteras tenta se atualizar aos novos tempos, traz visual e uma pegada que poderia ser agradável de assistir, mas se perde tanto dentro de um roteiro vazio e de mais corre corre do que trama e aventura. Isso torna uma experiência cinematográfica mediana que não diverte tanto quanto acha que faz... muito devido as tentativas de trazer humor, ação e estilo, do qual, falha nas duas primeira.

  ____________________________________________________________________
 Dúvidas, sugestões, parcerias e indicações: contato.parsageeks@gmail.com

Comentários via Facebook

0 Comments:

Postar um comentário

Publicidade

ParsaGeeks

Instagram

© ParsaGeeks - Desbravando Filmes e Séries – Nossos Brindes de Cinema (NBC) Grupo ParsaGeeks